21/08/2017

CAMPANHA PELO RESPEITO À DIFERENÇA E PELA TOLERÂNCIA POLÍTICA ENVOLVE RAPPERS


CAMPANHA PELO RESPEITO À DIFERENÇA E PELA TOLERÂNCIA POLÍTICA ENVOLVE RAPPERS
Lobito, 21.08.2017

Em prol do respeito pela diferença e pela tolerância política, a OMUNGA arranou com uma campanha que envoveu rappers do Lobito, Caimbambo, Huambo e Luanda.

Dentro desta campanha, organizaram-se 3 espectáculos, tendo sido o primeiro no Caimbambo, seguido no Lobito e finalmente em Luanda.

No espectáculo do Lobito, juntou também um grafiteiro. Para além dos espectáculos, gravaram-se dois CD e editou-se um vídeo clip que foi apresentado a 17 de Agosto, no hotel Fórum, em Luanda.




10/08/2017

SOLIDARIEDADE COM A ESCOLA DA LÓMEA


SOLIDARIEDADE COM A ESCOLA DA LÓMEA
Lobito, 10.08.17

A Associação OMUNGA em parceria com o atelier Era Uma Vez, desenvolvem uma campanha de solidariedade para com a escola da Lómea.

A Lómea é uma povoação que se localiza no município do Caimbambo. A campanha conta com o apoio do cartoonista Sérgio Piçarra e do rapper Pobre 100 Culpa.

Ajude você também.

01/08/2017

INTOLERÂNCIA POLÍTICA – GUERRA EM TEMPO DE PAZ


INTOLERÂNCIA POLÍTICA – GUERRA EM TEMPO DE PAZ
Lobito, 01.08.2017

Na tarde de quinta-feira, 3, o Hotel Praia Morena foi mais uma vez palco de mais uma edição do Quintas de Debate.

A sessão realizou-se para abordar sobre intolerância política. A actividade teve como base, o trabalho que a Plataforma Eleitoral da Sociedade Civil – Benguela (PESCB) desenvolve desde 20 de Junho no município do Bocoio.

O objectivo não foi o de apontar o dedo a este ou àquele partido mas, através de informações recolhidas e analisadas e também de testemunhos directos de actos de intolerância política, sofridos naquela parcela da província de Benguela, desde pelo menos 2004, muito pouco tempo depois do processo de desmobilização, provocar a reflexão sobre o assunto.

Enquanto os discursos apontam para a existência de paz e que tenha mesmo conseguido apontar um arquitecto da mesma, a realidade é bastante diferente. Naquele município, como em outros municípios desta província de Benguela, nomeadamente Balombo, Caimbambo e Cubal, o que parece é que na realidade nunca se viveu um verdadeiro período de reconciliação nacional e muito menos de pacificação.

Baseando-se na desconfiança, na partidarização das estruturas administrativas e das autoridades tradicionais, o que se sente é realmente um clima de instabilidade e de medo.

Estando Angola à beira da realização de mais umas eleições, considerou-se importante, partindo dessa reflexão, fazer-se a denúncia da real situação.

A 26 de Maio, um grupo de militantes do MPLA agrediu violentamente um grupo de militantes da UNITA que pretendiam realizar uma actividade de colocação da sua bandeira e de formalizar a sua actividade política na aldeia da Balança, comuna do Cubal do Lumbo, município do Bocoio.

Segundo as informações, os militantes do MPLA garantem que não querem a implantação da UNITA naquela localidade. Em represália, os militantes da UNITA, em pelo menos 2 outras comunas, arrancaram e queimaram as bandeiras do MPLA. Em consequência disso, foram registados mais de 3 mil deslocados e foi constituída uma comissão de pacificação, que envolve a administração, o comando da polícia, o MPLA, a UNITA e o comando militar.

Segundo a Administração, a situação voltou à calma e as populações regressaram às áreas de origem. Segundo a UNITA e outras fontes, isso não corresponde completamente com a verdade. No entanto, o que é certo é que a Administradora não aconselhou à delegação que se deslocasse àquela aldeia para realizar o seu trabalho de monitoria.

Bocoio já foi marcado pelo assassinato do secretário municipal da UNITA e de outros militantes, atos de tortura e de agressão, mesmo com o envolvimento da polícia nacional e das próprias estruturas administrativas, conforme as denúncias.

Embora se tente restringir o conflito e a intolerância aos dois partidos, MPLA e UNITA, o que é verdade é que os actos de intolerância política têm também afectado outros partidos, nomeadamente a CASA-CE, pior que isso, é que ultrapassa o próprio limite dos partidos políticos e afeta inclusivamente a sociedade civil. É o caso do CRB (Círculo Rastafari de Benguela) em que foram chamados ao MPLA e à polícia sob acusação de que estariam a criar núcleos da UNITA junto das comunidades com as quais trabalham.

Com o propósito de chamar à atenção que a paz não é obra de um arquitecto mas que exige o envolvimento de todos nós, a OMUNGA decidiu realizar esta edição do Quintas de Debate, sobre este tema. Por favor acompanhem o debate na íntegra.

PARTE I


PARTE II

31/07/2017

ACHO QUE O ESSENCIAL É PAUTARMOS PELA RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS INDEPENDENTEMENTE DE ESTARMOS EM CAMPANHA OU NÃO CAMPANHA


ACHO QUE O ESSENCIAL É PAUTARMOS PELA RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS INDEPENDENTEMENTE DE ESTARMOS EM CAMPANHA OU NÃO CAMPANHA
Lobito, 31.07.2017

Temos que ter uma abordagem mais inclusica para que todos passamos a ter em conta que há problemas que têm que ser ultrapassados, independentemente de ser do partido A, B, C. Independentemente daquilo que os nossos partidos vão passar durante a campanha, eu acho que o essencial é pautarmos pela resolução dos problemas independentemente de estarmos em campanha ou não em campanha, acho que isso é o essencial.”

Inácio Zacarias

TERMOS A CONFIANÇA NO FUTURO E MANTERMO-NOS SINTONIZADOS NO SENTIDO DE LUTAR PLEOS NOSSOS DIREITOS


TERMOS A CONFIANÇA NO FUTURO E MANTERMO-NOS SINTONIZADOS NO SENTIDO DE LUTAR PLEOS NOSSOS DIREITOS
Lobito, 31.07.2017

Podemos sim ter a esperança de que o 23 de Agosto possa trazer alguma mudança. Por outra devemos trabalhar juntos, devemos trabalhar unidos, termos a confiança no futuro e mantermo-nos sintonizados no sentido de continuarmos a lutar pelos nossos direitos.

Os cidadãos devem ser cidadãos informados, cidadãos com consciência para poderem, por si, conseguir lutar pelos seus direitos.

Quer haja alguma mudança a partir de 23 de Agôsto, como não, o importante é que os cidadãos estejam todos ávidos no sentido de todos poderem corresponder para qualquer situação que afete os seus direitos.

André Augusto, Coordenador da SOS Habitat

QUE SE PAUTE PELO CIVISMO NESTA FASE DE CMPANHA ELEITORAL

QUE SE PAUTE PELO CIVISMO NESTA FASE DE CMPANHA ELEITORAL
Lobito, 31.07.2017

Nós a UNITA, apelanos a toda a população angolana e benguelense em particular, para que pautem pelo civismo durante esta fase da campanha eleitoral, para que as candidaturas se sinjam nos seus programas eleitorais de governação.”

Alberto Ngalanela, 1º Secretário provincial da UNITA, Benguela

PASSEMOS ESTAS ELEIÇÕES NUM AMBIENTE DE PAZ E DE DEMOCRACIA

PASSEMOS ESTAS ELEIÇÕES NUM AMBIENTE DE PAZ E DE DEMOCRACIA
Lobito, 31.07.2017

Francisco Chilala, PRS-Benguela, também deixou a sua mensagem de paz para as próximas eleições.

“Que os partidos políticos e a população em geral, que pautassem pela democracia para que as eleições se realizassem num ambiente de paz, já que quando se trata de eleições e eleições é uma festa. Por isso deixo esta mensagem para que passemos estas eleições num ambiente de paz e de democracia”